11
Nov 16

 Os cães mais inteligentes são Pastor Belga Groenland, Pastor Belga Tervueren, Springer Spaniel Inglês, Schnauzer Miniatura, Rottweiler, Papillon, Labrador Retriever, Pastor de Shetland, Dobermann, Golden Retriever, Pastor Alemão, Poodle, Border Collie, Welsh Corgi Pembroke, Australian Cattle Dog.

 

 

 

 Fonte:Dicas do Cão

 

 

 

 

      

 

publicado por aprocuradecao às 19:13

05
Nov 16

Os cães que deitam mais pelo são: os Golden Retrievers, os Pastores Alemães, os Collies, os cães de Montanha dos Pirinéus, os Pugs, os Shetlands, os Dalmatas, os Beagles,os Labradores, os Dobremans, os Rottweilers, os Huskys Siberianos, os Welshs Corgis, os Malamutes do Alaska, os Dachshunds, os Bulldogs Franceses, os Cockers, os Cavallier King Charles Spaniel,os Akitas, os Spitz Alemães, os Bassets Hound, os Chows Chows, os Chiwawa, os São Bernardo, os Bull Terrier, os Setter's e os Shibashttps.

Os cães que deitam menos pelo são: o Cão de Água Português, Yorkshire Terrier, Welsh Terrier, Poodle, Maltês, Bichon Bolonhês, Affenpinscher, Pastor Bergamasco, Pastor Polonês da Planície, Pumi, Puli, PoodleToy, ShihTzu, Schnauzer Miniatura, Dandie Dinmont Terrier, Lhasa Apso e West Highland Terrier.

 

Fontes: Portal do Dog

 

 

 

 

 


 
 
 
 
 

 


 
 
 
 

 

publicado por aprocuradecao às 13:45

29
Out 16

Os Westis (West Highland Terrier) são cães de caça e de companhia oriundos da Escócia.

As fêmeas têm cerca de 25 cm e  6 a 9 kg, enquanto os machos têm 27 cm e 6 a 9 kg.

Os Westis vivem 12 a 16 anos,a cor da sua pelagem é branca e deitam pouco pelo.

Tem de ser escovado 2 a 3 vezes por semana e ir à tosquia frequentemente.

Os Westis têm de ser passeados todos os dias e  convêm educa-los desde pequenos.

Eles ladram pouco e não se envolvem em brigas.

Podem ficar sozinhos em casa mas quando os donos chegam têm de o compensar com muitas festas e alguns passeios

Eles são alertas ,amigáveis, corajosos, resistentes, ativos, independentes, simpáticos, curiosos e alegres.

As principais preocupações com a saúde são leucodistrofia de células globóides, Doença De Legg-Perthes, CMO.
Preocupações Menores são intoxicação por cobre, catarata, luxação da patela.

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por aprocuradecao às 08:18

11
Set 14

Arroios, Santo Condestável, São Francisco Xavier, Ajuda, Santos-o-Velho, Santa Maria de Belém, Campo Grande, São Miguel, Charneca, São João, São Domingos de Benfica, Castelo, São João de Deus, Pena, Socorro, São Sebastião da Pedreira, Ameixoeira, Campo de Ourique, Estrela, São Vicente, Avenidas Novas, Santa Clara, Santa Maria Maior, Misericórdia, Areeiro, Santo António, Belém, Parque das Nações, Santa Isabel, Anjos, Marvila, Carnide, São Paulo, Campolide, São José, Santiago, Encarnação, Nossa Senhora de Fátima, Mártires, Benfica, São Nicolau, Olivais, Sé, Santa Engrácia, Madalena, Coração de Jesus, Lapa, Lumiar, Alcântara, Penha de França, Mercês, São Jorge de Arroios, Prazeres, Beato, Sacramento, Alto do Pina, São João de Brito, Alvalade, Santa Justa, São Mamede, Santa Catarina, São Cristóvão e São Lourenço, Santo Estevão, Graça, São Vicente de Fora

 

{#emotions_dlg.meeting}Fonte:http://www.pai.pt/canis-gatis/lisboa/?sort=az

publicado por aprocuradecao às 10:28

15
Abr 14

Usualmente os donos de bulldogs questionam-se sobre qual seria a alimentação mais adequada ao seu cão. Sabemos que o organismo canino é muito parecido com o humano em alguns aspectos, mas muito diferente em outros. O cão possui um organismo mais rudimentar que o nosso, assim metaboliza os alimentos de forma diferente e às vezes de forma deficiente. O cão não consegue metabolizar adequadamente alimentos com muito sal, condimentos e gorduras. Desta forma podemos ter uma sobrecarga de alguns órgãos como os rins e o fígado, gerando patologias como a insuficiência renal e hepática. Prioriza-se uma alimentação baseada em ração de boa qualidade (super premium) em quantidade adequada. A quantia varia conforme o tipo de ração, tamanho do cão e atividades físicas que realiza. Pode-se incluir na alimentação petiscos caninos, algumas frutas e alguns legumes, mas deve-se que a base da dieta sempre será a ração. Algumas frutas devem ser evitadas como laranja, bergamota, mamão, abacate e carambola, entre outras. Alguns legumes também devem ser evitados como o tomate, cebola e alface, entre outros. Muitos cães têm o hábito de ingerir a ração apenas quando misturada com algum tipo de alimento mais húmido. Esse é um hábito muito observado entre os bulldogs e bastante difícil de ser retirado. Nesses casos podemos optar por peito de frango cozido sem sal, desfiado e colocado em pequenas porções em cima da ração, ou ainda pedacinhos de cenoura picada ou de outro legume. Outra mania muito observada entre os bulls é receber alimento dos donos enquanto estes estão fazendo as refeições. Nesses casos em vez de pedaços daquilo que estamos ingerindo, podemos deixar na mesa alguns petiscos caninos e assim oferecer ao cão.

Dra. Viviane Dubal – CRMV/RS 8844

{#emotions_dlg.meeting}fonte: http://bullblogingles.com/2011/02/23/alimentacao-do-bulldog/

Com algumas alterações

 

 

publicado por aprocuradecao às 18:33

07
Abr 14

Canil Larasago

 

Se estiver interessado em falar  com eles sobre a  criação, você encontrará os  dados nesta página.

Caso queira consultar a página deste canil deixo aquim o link: http://de-larasago.criadores-caes.com/

 

{#emotions_dlg.mobile}Contactos
Contacto: Gonçalo Gonçalves
Rua do Paiol,Madeira - Funchal

Telefone: 
962828820
912629433
Afixo: de Larasago

 

{#emotions_dlg.meeting} fonte:http://de-larasago.criadores-caes.com/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por aprocuradecao às 15:55

04
Mar 14

Tudo o que você e o seu filho precisam de saber para escolherem e educarem o seu amigo de quatro patas

O cão é muitas vezes apresentado como sendo o melhor amigo do homem, um fiel companheiro.

 

Mas na altura de o escolher, surgem sempre dúvidas sobre a raça mais adequada ao seu espaço, ao seu ritmo de vida e à sua família, sobretudo se tiver filhos pequenos.

 

Educá-lo é outra missão que pode parecer difícil. Para que fique sem dúvidas sobre qualquer um destes temas, os originais autores deste post faláram com Alexandra Santos, treinadora de comportamento e obediência e autora do livro «O meu cão e eu», editado pela editora A Esfera dos Livros.

 

Quais as vantagens gerais para as crianças terem animais de estimação como os cães em casa?

 

Os cães são ótimos companheiros de brincadeira, facilitam a vida social das crianças pois muitas amizades são feitas através dos seus cães e ajudam a incutir na criança um sentido de responsabilidade e de utilidade.

 

Quais os factores e os critérios a ter em consideração antes de adquirir ou adotar um cachorro?

 

É muito importante ter em conta a dinâmica e o estilo de vida da família, assim como a a personalidade e a condição física ou estado de saúde dos seus membros. Por exemplo, uma família muito ativa pode escolher um cachorro com um alto nível de energia, enquanto que uma família com um estilo de vida mais pacato deve optar por um cachorro mais calmo, como os das raças basset hound e beagle.

 

Se houver membros da família com alergias, é preferível optar por um cão com pelo cerdoso ou encaracolado, como o cão de água português, o pastor alemão ou o labrador, pois tendem a largar menos pelo. Se o cão vai passar muitas horas sozinho (11 a 12 horas por exemplo) é aconselhável escolher um cachorro com um temperamento independente.

 

Se houver crianças pequenas na família, aconselho a escolha de um cão pachorrento e com elevada tolerância ao manuseamento físico. Raças como o basset hound, o setter inglês, o collie, o golden retriever e o labrador são cães de temperamento equilibrado.

 

A lista de raças mais indicadas para as crianças inclui, além das referidas anteriormente, o budogue (francês e inglês), o cão da Terra Nova, o São Bernardo e o schnauzer gigante. Igualmente importante é a família obter alguns conhecimentos fundamentais sobre a forma como os cães comunicam, para evitar conflitos e más interpretações desnecessárias.

 

300x240 150892224.jpg

 

Há quem defenda que qualquer cão, desde que bem ensinado, pode conviver harmoniosamente com uma família com crianças? Concorda ou isso apenas acontece com algumas raças, podendo outras ser desadequadas?

 

Acredito que hajam raças menos adequadas, não por serem cães ditos maus, mas porque as próprias características tendem a ser incompatíveis com alguns comportamentos das crianças, especialmente das mais pequenas. Por exemplo, uma raça de guarda que tenda a guardar recursos pode atacar a criança que lhe tentar retirar um objeto.

 

Há raças mais adequadas à convivência com crianças, nomeadamente as de companhia. Contudo, não vamos ser fanáticos e pôr de parte a hipótese de adquirir um cão de uma raça de que gostemos ou um cão rafeiro, pois embora o potencial para certos comportamentos agressivos seja ditado pela carga genética do cão, pode perfeitamente nunca se manifestar se o cão for muito bem sociabilizado e treinado.   

 

Quais as desvantagens ou mesmo perigos a que a família pode ficar sujeita, nomeadamente doenças como a zoonose e problemas como as alergias e o que fazer para os evitar?

 

É muito importante o cão ser desparasitado interna e externamente com regularidade, para evitar passar parasitas para a criança. Convém também escovar o pelo com regularidade. Quanto a doenças contagiosas, o mais sensato é a família aconselhar-se com um médico veterinário.

 

Quais as principais regras ou dicas a seguir para uma perfeita harmonia do cão na família?

 

Na minha perspetiva, a regra principal é a criança aprender a respeitar o seu cão e perceber que, tal como há coisas que ela não gosta que lhe façam, o cão também não gosta nem é obrigado a aceitar e tolerar tudo o que lhe fazem. Por exemplo, desaconselho qualquer criança de ir abraçar o cão enquanto o animal dorme ou a fazer-lhe festas enquanto come ou até mesmo tentar tirar-lhe um objeto da boca.

 

Os pais devem aprender a reconhecer os sinais mais subtis de desconforto que o cão emite durante uma interação social. Por exemplo, lamber os lábios, desviar o olhar ou mesmo virar a cabeça quando alguém está próximo demais, são sinais que devem ser respeitados pois significam que o cão se sente invadido noseu espaço pessoal, que é um conceito diferente de território, mas que não quer escalar para a agressividade.

 

Claro que se estes sinais forem ignorados, o cão pode agredir. Outraregra importante é manter o cão em ótimas condições de saúde, pois uma doença que cause desconforto físico pode predispor o cão a reagir com agressividade, proporcionar-lhe exercício físico e estímulo mental e educá-lo.

 

Considera importante que o cão seja treinado por profissionais de forma a garantir a prevenção de problemas no seu temperamento e comportamento ou, pelo contrário, basta seguir as dicas e conselhos de livros como o seu e passar da teoria à prática?

 

Depende. Considero essencial o acompanhamento por um profissional em casos de problemas de comportamento, nomeadamente de agressividade, de ansiedade, de fobias, etc… Considero, também, importante a ajuda do profissional assim que o dono encontra dificuldades ao educar o seu cão.

 

No que concerne ensinar exercícios básicos de obediência, acredito que livros como o meu sejam suficientes. Mesmo assim é relativo porque, por mais explícito que um livro seja, cada cão é um caso e a técnica de treino que funciona para uns não funciona para outros.

 

Que tipo de atividades podem (ou não) envolver os cães e as crianças? É seguro, por exemplo, que uma criança interaja ou brinque num parque com cães que não conhece?

 

Depende muito da idade da criança. Por exemplo, se for uma criança pequena convém fazer jogos de busca com o cão (atirar uma bola ou um disco tipo frisbee) em vez de jogos de tração para evitar que o cão, com a excitação da brincadeira, lhe morda as mãos.

 

Ensinar a criança a escovar o seu cão ou a fazer-lhe festas é preferível a deixá-la apertar-lhe as bochechas ou puxar-lhe o pelo ou cauda, mais uma vez para evitar ser mordiscada nas mãos.

 

Acredito que as crianças, especialmente as mais pequenas e os bébés, não devem ficar sozinhas com os seus próprios cães e muito menos brincarem num parque com cães que não conhecem. Isto porque a criança pode ser mordida ao fazer a coisa errada porque não saber ler linguagem canina.

 

Por exemplo, um cão a rosnar e a mostrar os dentes pode ser facilmente interpretado por uma criança de três anos como estando a sorrir para ela. A criança, ao responder a este alegado sorriso com um abraço, pode ser mordida. Há muitas atividades envolvendo cães e crianças que são seguras, desde que os pais ou outros adultos estejam presentes para as supervisionar.

 

Acredita que a questão do afeto e da partilha na relação criança-cão pode até ser positiva para o desenvolvimento das crianças?

 

Sem dúvida. Até arrisco afirmar que uma criança que tenha vivido ou que viva uma relação de afeto e partilha com o seu cão mais facilmente se torna num adulto capaz de sentir consideração, afeto, empatia e compaixão por terceiros.

 

No seu caso pessoal, como surgiu o interesse por este tipo de animais? Tem alguma história de um cão que a tenha marcado em particular?

 

Acho que já nasci com esta atração por cães, pois tive a minha primeira cadela, a Peggy, aos seis anos e preferia mil vezes brincar com ela do que com outras crianças. Cresci com uma grande compaixão e um enorme carinho pelos cães e acredito ter sido isso que me impulsionou para esta profissão.

 

Ao longo da minha vida e carreira têm havido várias histórias que me marcaram por variadíssimas razões mas, como condeno a utilização de punições na educação de um animal, partilho de seguida uma que foi particularmente marcante. Um cão de grande porte que foi forçado a ser obediente através de uma educação muito punitiva.

 

Quando se recusava a andar à trela, era puxado de forma violenta. Quando mostrava o seu desagrado através de rosnar, apanhava. Se há cães que toleram castigos de formapassiva, outros reagem com agressividade e este cão aprendeu, na perfeição, a morder sem avisar. Um dia a agredida fui eu, embora fosse meu aluno há pouco tempo e eu não estivesse associada a qualquer punição.

 

O crime, se é que lhe podemos chamar assim, que cometi foi dar-lhe a ordem «senta» acompanhada de um gesto. O cão terá interpretado esse meu gesto como uma ameaça e mordeu-me sem qualquer aviso. O cão é mau? Não. Foi alvo de uma educação deficiente!

 

Texto: Fabiana Bravo com Alexandra Santos (consultora de comportamento canino e treinadora de cães)

<a href=' http://pub.sapo.pt/ck.php?n=aaeba4dc&cb=53166920629' target='_blank'><img src=' http://pub.sapo.pt/avw.php?zoneid=1322&cb=53166920629&n=aaeba4dc' border='0' alt= /></a>

 

 

{#emotions_dlg.meeting}fonte:

http://crescer.sapo.pt/familia/relacoes/o-cao-em-familia/3





<a href="http://pub.sapo.pt/ck.php?oaparams=2__bannerid=150544__zoneid=353__cb=b0e0f358bb__cpid=saberviver__oadest=http%3A//bs.serving-sys.com/BurstingPipe/adServer.bs%3Fcn%3Dbrd%26FlightID%3D9125071%26Page%3D%26PluID%3D0%26Pos%3D1476500707" target="_blank"><img src="http://bs.serving-sys.com/BurstingPipe/adServer.bs?cn=bsr&FlightID=9125071&Page=&PluID=0&Pos=1476500707" border=0 width=300 height=250></a>

        

<a href="http://pub.sapo.pt/ck.php?n=a72359d3&cb=" target="_blank"> <img src="http://pub.sapo.pt/avw.php?zoneid=353&cb=&n=a72359d3&cpid=saberviver" border="0" alt="" /> </a>         

    

 

                        

publicado por aprocuradecao às 19:35

02
Mar 14

Pastor Alemão

Características: A raça foi criada especialmente para a defesa de propriedades, companhia, guia de deficientes e atividades policiais.
Vantagens: Reage com eficácia às agressões. É atento, indentifica rápido se há um invasor, é alerta, latindo sem parar e muito alto se nota alguma anormalidade. É obediente e tem bom potencial de intimidação. Adapta-se bem a todo tipo de clima, em espaços médios e pequenos.
DesvantagensCom a sua popularização, muitos exemplares foram deturpados por cruzamentos malfeitos. Houve perda de características originais da raça, o que resultou num temperamento mais instável. O Pastor Alemão  precisa de cuidados especiais com a pelagem.

Sociabilidade: Se tiver boa procedência, é apegado à família e mostra disposição para aturar as brincadeiras das crianças. Contudo, não convém abusar!

Rottweiler

Características: é musculado,ágil e resistente. Pesa de 42kg 50kg. É desconfiado e com temperamento muito forte. Os ancestrais do rottweiler eram usados para conduzir o gado. No começo do século XX, foi considerado ideal para o trabalho policial.

Vantagens: é um ótimo cão de guarda. Assim como o Pastor Alemão adapta-se bem a ambientes e espaços reduzidos.

Desvantagens: precisa que o dono se imponha. Ele é tão seguro de si e tende a desafiar até mesmo o tratador. Sofre alta incidência de cancro por causa do cruzamento genético que origina a raça.

Sociabilidade: Se for bem tratado, pode ser um companheiro, mas é preciso cuidado (sobretudo com crianças)

Dobermann

Características: é um cão de tamanho médio, inicialmente o dobermann foi usado quase exclusivamente como guarda e vigia. Mais tarde, passou a ser utilizado também como cão policial e cão de guerra.

Vantagens: é um excelente cão de guarda, intimida o invasor pelo seu porte e pelo latido, responde rápido a qualquer estímulo. Reage com violência a agressões e é muito ágil e facilmente adestrável.

Desvantagens: pode ser um pouco teimoso e não se dá muito bem com outros animais.

Sociabilidade: pode ser criado em casa e até brincar com as crianças, desde que esteja acostumado a elas.

Fila Brasileiro

Características: a raça surgiu do cruzamento de cães trazidos pelos holandeses, em 1631, com animais já encontrados no Brasil. Posteriormente, sofreu modificações para ser usada em guarda, caça e pastoreio.

Vantagens:  é autoconfiante e destemido, impressiona pelo tamanho e latido.

Desvantagens: não é um cão muito ativo. Pode ser um pouco teimoso e não se dá muito bem com outros animais. Não tem boa percepção dos estímulos à sua volta.

Sociabilidade: costuma respeitar as pessoas da casa, mas não se deve abusar. É reservado com estranhos e um ataque pode ser fatal.

Boxer:

Características: a raça descende de uma linhagem de cães conhecidos por toda a Europa desde o século XVI. O boxer era usado inicialmente como cão de lutas. Com o tempo, foi reconhecido como ótimo cão de guarda.

Vantagens: está sempre alerta, é um cão de companhia e adapta- se bem a espaços pequenos e médios. Tem ótima audição, o que lhe permite detectar o local exato da invasão.

Desvantagens: detesta conviver com outros animais.

Sociabilidade: tem boa convivência com crianças.

Dogue Alemão

Características: é um cão de grande porte, é amistoso, ativo, obediente e reservado com estranhos.

Vantagens: é um bom cão de guarda e de companhia. Convive muito bem com outros cachorros.

Desvantagens: O seu tamanho intimida, mas é muito manso para a função de guarda. Necessita de grande quantidade de alimento e espaço 

 

 

 

  {#emotions_dlg.meeting}fonte:http://veja.abril.com.br/especiais/seguranca/p_086.html

 

 

 

 

 

publicado por aprocuradecao às 11:53

29
Dez 13

 São estas as belas raças de cães Portugueses que dignificam Portugal por todo o mundo e não é por acaso que o inquilino canino da Casa Branca é de raça Portuguesa; o Cão d`Água.

Raças de Cães Portugueses – Raças Portuguesas reconhecidas pela FCI:

- O cão Perdigueiro Português.

- O  cão da Serra da Estrela.

- O cão d`Água.

- O cão de Fila de São Miguel “Açores”.

- O cão da Serra de Aires.

- O cão Rafeiro do Alentejo.

- O cão de Castro Laboreiro.

- O cão Podengo Português, este que se divide em três categorias de Podengos, Podengo  Grande, Podengo Médio e o Podengo Pequeno.

Raças Portuguesas não reconhecidas pela FCI:

- O cão Barbado da Terceira”Açores”.

- o Cão de Gado Transmontano.

O Barbado da Terceira é reconhecido em Portugal pelo Clube Português de Canicultura pelo menos desde 2004/05, e o Cão de Gado Transmontano também. Estas duas raças portuguesas não são ainda reconhecidas pela FCI – Federação Cinológica Internacional, e poderá levar bastante tempo até que possam ser reconhecidas!

fonte: http://pescaecaca.com/racas-de-caes-portugueses/

 

 

 

 

 

 

publicado por aprocuradecao às 19:29

25
Dez 13

A alimentação do cão também é muito importante. Ela determina, de forma decisiva,o quão saudável o cão virá a ser um dia mais tarde, quando for adulto.

Devemos pedir ao criador que nos dê um plano de alimentação. Alguns criadores já têm um plano desse género, outros, certamente darão informações com todo o gosto. Também se pode levar um pequeno saco de mantimentos para os primeiros tempos do cão na casa nova.

Recomendam-se 2 a 3 refeições por dia. A ração seca pode ser utilizada para uma parte da alimentação, mais ou menos, a partir do 3.º mês. Relativamente à alimenação do cão, é aconselhável ocnsultar livros técnicos ou falar com especialistas. Há coisas que não conseguimos avaliar a olho nu.

fonte: "Manual dos Cães", Dinalivro, 2009, Lisboa, pág. 18

publicado por aprocuradecao às 10:46

Novembro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


subscrever feeds
arquivos
2016

2015

2014

2013

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO